Escultor do touro de Wall Street critica a ‘garota destemida’

Por Marcelo Bernardes

E a “garota destemida” fez o pai do touro bufar.

O escultor italiano Arturo Di Modica, 76, criador da estátua de bronze “Charging Bull”, símbolo de Wall Street e escultura mais visitada em Nova York depois da Estátua da Liberdade, revelou que não está nada contente com a garota feminista de 1m20 de altura que foi parar – desafiadora – na frente de seu trabalho. “Eles estão tirando vantagem”, disse Di Modica ao jornal “Daily News” de hoje (21). “Não é correto. Eles estão insultando todo o povo americano, meu trabalho e eu”, prosseguiu.

O “eles” que Di Modica se refere é o State Street Global Advisors, grupo de investimentos com sede em Boston que comissionou a escultora americana Kirsten Visbal para que essa criasse uma obra que servisse de símbolo da igualdade de gêneros em Wall Street, onde poucas mulheres conseguem posições de liderança. Na noite de 7 de março, véspera do Dia Internacional da Mulher, a estátua da “Fearless Girl” foi instalada na frente do touro.

“Garota Destemida” e o touro. (Foto: State Street Global Advisors)

“Charging Bull”, que pesa 3.200 quilos, foi criada em 1989 como símbolo de esperança após o grande crash na bolsa de valores de Nova York em 1987. Na época, Di Modica disse que seu trabalho representava “a força, o poder e a esperança do povo americano quanto ao futuro”. Ao “Daily News” de hoje, Di Modica explicou que sua estátua é naturalmente inclusiva, sem panfletagem. “Fiz para todo o povo americano. Não criei (meu trabalho) para homens, mulheres ou gays”.

Di Modica espera que o prefeito de Nova York, Bill de Blasio, não mantenha mais a “garota destemida” na frente do touro além do dia 2 de abril, data da retirada da estátua. Com permissão de ficar no local apenas por uma semana, de Blasio estendeu a permanência da garota por mais três semanas, devido ao sucesso e a legião de turistas – especialmente garotas – que o novo trabalhou atraiu ao local, a alguns quarteirões de distância da Bolsa de Valores de Nova York. Além da mulher de Bill de Blasio, Chirlane McCray, ser uma grande fã da garota, abaixo-assinados estão sendo preparados no momento para convencer o prefeito a mantê-la no local.

Turistas visitam a “garota destemida”. (Foto: Marcelo Bernardes)

 

A fúria de Di Modica pode soar como hipocrisia. Ele bancou independentemente o projeto do touro de bronze, investindo cerca de US$ 320 mil na obra. No natal de 1989, sem permissão da prefeitura, usou um caminhão para transportar o touro e depositá-lo ilegalmente ao pé de uma árvore de natal, bem na frente da Bolsa de Valores de Nova York. Removida pela polícia e trancafiada num galpão no bairro da periferia do Queens, a estátua ganhou um novo local para ficar, devido a pressão popular. Por pouco o “Charging Bill” não foi parar em Las Vegas. Um dono de um hotel fez uma proposta ao escultor. Di Modica não aceitou.

Estátua fica oficialmente no local até dia 2 de abril. (Foto: Marcelo Bernardes)