Trump superou Baldwin na arte de parodiar Trump, diz apresentador

Por Marcelo Bernardes

Os editores do jornal “O Popular”, da República Dominicana, devem prestar atenção redobrada hoje à noite (17) ao selecionar uma foto do presidente Donald Trump, e tentar não confudi-lo mais uma vez com o ator Alec Baldwin (acima), que o interpreta quase que semanalmente no programa humorístico da TV “Saturday Night Live”.

Segundo o âncora norte-americano Chris Matthews, do programa de notícias “Hardball”, da rede MSNBC, o encontro de hoje entre a chanceler alemã Angela Merkel e Donald Trump elevou o último a um novo patamar. Trump teria superado Alec Baldwin na arte de parodiar…Trump. “Nós o vimos (Trump) hoje na Casa Branca…fazendo um trabalho melhor de interpretar Trump, da maneira mais ridícula, do que o próprio ator poderia”, disse Matthews hoje à noite.

Matthews disse também que o comportamento de Trump ao ser questionado por um repórter alemão sobre suas recentes declarações acerca de grampos telefônicos, encomendados, segundo ele, pelo ex-presidente Barack Obama, “é a mais cristalina declaração de um presidente americano que quer criar um rumor sobre seu antecessor”. O âncora sugeriu que Trump “abandone a comédia” e “habite a Casa Branca, aceitando suas tarefas”.

 

Angela Merkel e Donald Trump momentos antes de ele se recusar a apertar a mão da chanceler alemã. (Foto: Divulgação)

 

Durante uma sessão de fotos, que antecedeu a coletiva de imprensa que os dois líderes conduziram conjuntamente no Salão Leste da Casa Branca, Trump se recusou a apertar a mão de Merkel, que não conseguiu disfarçar o constrangimento, balançando a cabeça num misto de rápida desaprovação e sarcasmo. Isso depois que Trump, sentado na mesma posição no mês passado, quase rendeu um torcicolo ao primeiro-ministro Shinzo Abe, apertando a mão do líder japonês por 19 segundos.

 

No passado, Merkel só ganhou amor dos presidentes americanos. George W. Bush arriscou fazer uma bizarra massagem nos ombros de Merkel durante um encontro do G-8, na Rússia, em 2006. E Barack Obama sempre foi o schatzi (amorzinho) da chanceler. A imprensa alemã ainda ridiculariza o fato de que Merkel tem uma quedinha secreta por Obama.

No começo do ano, a humorista inglesa Tracey Ullman, que satirizou Angela Merkel em seu programa da rede HBO, participa de um quadro no qual a assistente da chanceler pergunta de onde vem o aroma gostoso de um blazer sujo dela. “Obaaaaaama…Ele é um abraçador”, diz Merkel revirando os olhos.

 

A mais famosa foto de Angela Merkel e Barack Obama, que parece ter saído de uma cena de “A Noviça Rebelde”, de braços abertos nos Alpes. (Foto: Pete Souza/White House)