Governo Trump ‘ajuda’ a trazer versão de ‘1984’ à Broadway

Por Marcelo Bernardes

As maquinações da administração Donald Trump impulsionaram as vendas de livros clássicos sobre futuro distópico, com seus temas como opressão, onipresença do governo e versões paralelas da verdade.

Agora é a vez de “1984”, livro de George Orwell que está atualmente na 39a. posição da lista dos 50 best sellers do momento compilada pelo jornal “USA Today” (depois de ocupar a primeira posição), desembarcar na Broadway.

Um anúncio de página inteira, a ser publicado na edição de amanhã (12) no jornal “The New York Times”, confirma as datas da montagem de “1984” em Nova York. As pré-estreias, nas quais são feitas ajustes na encenação, começam no dia 18 de maio e a peça será lançada oficialmente no dia 22 de junho no teatro Hudson.

Pôster oficial da versão americana de “1984” publicado na edição de amanhã (12) do “NY Times” (Foto: Reprodução)

A adaptação teatral de “1984” foi criada originalmente por Robert Icke e Duncan Macmillan para o teatro inglês em 2014. A crítica do jornal inglês “The Observer” disse que a dupla conseguiu “criar algo com tremendo resultado”. “A peça tem elementos de uma história de terror e transe”, escreveu o jornal.

Ben Brantley, temido crítico teatral do “The New York Times”, assistiu à montagem em Londres e a chamou de “intencionalmente ultrajante”. A versão americana de “1984” é produzida pelo todo-poderoso da Broadway – e Hollywood – Scott Rudin, também responsável pela produção “Um Limite Entre Nós”, filme de Denzel Washington baseado em peça de August Wilson, que concorreu ao Oscar deste ano.

Cena da montagem inglesa de “1984”. (Foto: Divulgação)