Mais nova-iorquinos se beneficiam da lei de troca de gênero

Por Marcelo Bernardes

Um total de 731 nova-iorquinos modificaram oficialmente o gênero em suas certidões de nascimento desde que a cidade aprovou uma lei para facilitar o processo em janeiro 2015.

A pessoa mais nova a trocar de gênero tem 5 anos de idade, e a mais velha, 76.

Desse número, 41 são menores de idade e precisaram do consentimento dos pais. 55% dos aplicantes mudaram o gênero masculino para o feminino, e 45% fizeram o inverso. As estatísticas são do Departamento de Saúde de Nova York e foram divulgadas ontem (9).

Nova York também expediu no ano passado a primeira certidão de nascimento legal nos Estados Unidos para um intersexual, pessoa que não se identifica como mulher ou homem.

Pela nova lei, os aplicantes podem alterar suas certidões de nascimento caso um médico ou um profissional habilitado ateste que o gênero listado na certidão não corresponde com o identificado pelo cliente. No passado, cartórios de Nova York só podiam fazer essa alteração caso a pessoa provasse que havia feito uma operação de sexo.