Clássico de Elliott Smith completa 20 anos com edição comemorativa

Por Marcelo Bernardes

Vinte anos após o lançamento do álbum “Either/Or”, trabalho do músico Elliott Smith, morto em 2003, aos 34 anos, este clássico do folk moderno norte-americano vai ser relançado amanhã (10) em cópia remasterizada.

O álbum lançado originalmente no final de fevereiro de 1997 foi o terceiro trabalho solo de Smith. Também, segundo críticos, o melhor da curta carreira desse músico nascido na cidade de Omaha, estado do Nebraska.

Cinco músicas do CD foram selecionadas pelo cineasta Gus Van Sant para fazer parte da trilha sonora de “O Gênio Indomável”, filme de 1997 estrelado por Matt Damon (Damon e o amigo Ben Affleck escreveram o roteiro do filme e venceram o Oscar; o ator Robin Williams ganhou a estatueta de melhor ator coadjuvante). Smith ainda faria uma música adicional para a trilha, “Miss Misery”, que foi indicada para o Oscar, mas perdeu para “My Heart Will Go On”, sucesso na voz de Céline Dion e parte da trilha de “Titanic”.

Capa do álbum “Either/Or”, terceiro e melhor trabalho da curta carreira de Elliott Smith. (Foto: Reprodução)

A edição comemorativa de “Either/Or” tem dois CDs (ou dois álbuns em vinil) com as 13 faixas originais remasterizadas e mais um álbum extra com remixes, gravações ao vivo e raridades descobertas há dez anos pelo engenheiro de som e amigo de Smith, Larry Crane, responsável agora pela manutenção do acervo do músico.

Entre as raridades estão uma gravação alternativa da música “Bottle Up and Explode!, do álbum “XO”, lançado em 1998, com letra completamente diferente, e a inédita “I Figured You Out”, nunca lançada pois Smith achava que ela “lembrava demais as músicas dos The Eagles.”

“Either/Or” marcou a entrada de Smith no mundo do pop mainstream. Segundo amigos e críticos, a passagem de músico cult e indie, com composições poderosas sobre aflições pessoais, para um artista com contrato com uma grande gravadora, e a súbita fama depois de apresentar “Miss Misery” na cerimônia do Oscar, afetaram tanto o processo de criação quanto a tormenta pessoal do artista. Em 2003, Elliott foi encontrado morto em seu apartamento em Los Angeles, com duas facadas no peito. Aparentemente, Smith teria deixado uma nota de suicídio para a namorada.