Esculturas do ator Christopher Walken viram nova mania em NY

Por Marcelo Bernardes

Christopher Walken é o novo John Malkovich.

Depois de Malkovich ter virado “meta-muso” no cinema, agora é a vez de Walken, 73, que venceu o Oscar de ator coadjuvante em 1979, pelo filme “O Franco Atirador” e participou de produções como “Pulp Fiction – Tempo de Violência” e “Prenda-Me se For Capaz”, virar tema de instalação de arte.

“Monument to Walken” (Monumento para Walken) reúne uma série de dez bustos feitos de cimento e fincados no gramado do Parque de Esculturas Socrates, que fica no bairro do Queens, em Nova York. A obra é do artista americano Bryan Zanisnik. Desde a abertura da exposição intitulada “EAF16”, há duas semanas, a instalação viralizou na mídia social, provocando a maior taxa de visitação vista no parque desde que ele foi inaugurado em 1986.

Com somente pescoço e rosto à mostra, tem-se a impressão que o corpo de Walken encontra-se soterrado num dos cantos do parque, protegido pela sombra de várias árvores. O escultor Zanisnik, que mora no Queens, decidiu fazer uma homenagem a um dos mais famosos filhos pródigos de Astoria, região do Queens, onde Walken nasceu e passou a infância.

Bustos do ator Christopher Walken criados por Bryan Zanisnik. (Foto: Marcelo Bernardes)
Bustos do ator Christopher Walken criados por Bryan Zanisnik. (Foto: Marcelo Bernardes)

Astoria também é considerado um dos bairros com a maior concentração de habitantes estrangeiros (11% da população) do mundo. É grande a presença de gregos (o nome do parque é uma homenagem a eles), brasileiros, chineses, colombianos, indianos, guianenses e dominicanos, entre outros povos.

Instalação tem 10 estátuas de Walken. (Foto: Marcelo Bernardes)
Instalação tem 10 estátuas de Walken. (Foto: Marcelo Bernardes)

Além dos bustos, a instalação conta com um display com desenhos do cartunista Eric Winkler que faz um breve histórico da família Walken pelo bairro. Os pais do ator foram donos de padaria em uma principais ruas do bairro, a Broadway. Em seu cartum, Winkler publica propaganda da padaria que tinha “canolis tão grandes que fazem sua cabeça explodir”. Outro anúncio-brincadeira diz: “Atenção donas de casa, deixe a gente assar o peru de Ação de Graças. Apenas traga uma forma para transportar o assado. Maiores informações com o Ronnie”. No local da padaria de Walken, que funcionou por 30 anos, hoje se encontra uma loja de ferramentas.

Christopher Walken em cena de "Pulp Fiction", de Quentin Tarantino. (Foto: Divulgação)
Christopher Walken em cena de “Pulp Fiction”, de Quentin Tarantino. (Foto: Divulgação)

A mostra “EAF16” é uma espécie de bolsa para artistas emergentes baseados em Nova York. Entre os 15 escultores selecionados para a exposição, está a paulista Liene Bosquê, que apresenta a instalação “Terracotta Impressions” (Impressões em Terracota), uma estrutura inacabada em tijolos que recria um prédio do bairro do Queens, onde a artista morava. A exposição fica em cartaz até o dia 12 de março de 2017. O parque é aberto para visitação pública todos os dias do ano.

A escultura Terracotta Impressions, da artista paulista Liene Bosquê. (Fotos: Marcelo Bernardes)
A escultura Terracotta Impressions, da artista paulista Liene Bosquê. (Fotos: Marcelo Bernardes)
"Ammal", instalação com Jeep Comanche modelo 89 feita pelo artista Andrew Brehm; ao fundo, a escultura "Accidental Flight", de Dylan Gauthier. (Foto: Marcelo Bernardes)
“Ammal”, instalação com Jeep Comanche modelo 89 feita pelo artista Andrew Brehm; ao fundo, a escultura “Accidental Flight”, de Dylan Gauthier. (Foto: Marcelo Bernardes)
"All Else Is Pale", do artista Galería Perdida. (Foto: Marcelo Bernardes)
“All Else Is Pale”, do artista Galería Perdida. (Foto: Marcelo Bernardes)
"Site on the Move", instalação outdoor de Dachal Choi e Matthew Suen. (Foto: Marcelo Bernardes)
“Site on the Move”, instalação em estilo outdoor de Dachal Choi e Matthew Suen. (Foto: Marcelo Bernardes)