Estrela de ‘Frozen’ volta a encantar em série sobre vida pós-morte

Por Marcelo Bernardes

Em “The Good Place” (Lugar do bem), nova comédia da emissora NBC, lançada ontem (19) na TV americana, o processo de recrutamento para o estágio da vida pós-morte é determinado por um complicado algoritmo.

Se você doou sangue; não encheu o saco de ninguém falando sobre a meteorologia; não passou um SMS enquanto interagia com outra pessoa; ajudou sua mãe a lidar com a impressora; ou hospedou uma família de refugiados (especialmente vindos da Síria), os pontos positivos vão se acumulando. Caso tenha poluído um rio; lido uma revista ruim de fofocas; pedido para uma mulher ‘dar um sorriso’; usado a palavra Facebook como verbo numa frase; ou atrapalhado uma ópera por causa de seu comportamento grosseiro, um cálculo negativo impede que você chegue ao lugar que dá título ao programa. Neste caso, o caminho é ir parar o “lugar ruim”, como aconteceu com Elvis Presley, Mozart, Picasso, Cristóvão Colombo e todos os presidentes americanos, “exceto Abraham Lincoln”.

Eleanor (Kristen Bell) é uma jovem do estado do Arizona que, depois de um acidente bizarro que lhe tirou a vida na Terra, surge num escritório comandado por uma espécie de anjo vestido com gravata borboleta, Michael (Ted Danson). Este avisa Eleanor que a matemática aplicada à vida dela, rendeu-lhe notas altas e uma vaga no local onde existe “felicidade eterna”. Nesse local, todos os 321 moradores de cada bairro (criados por Michael, que também é arquiteto) têm uma alma-gêmea e várias opções de lojas de frozen yogurt. As boas pessoas adoram uma sobremesa.

Em "The Good Place", Ted Danson explica a Kristen Bell como funciona a vida pós-morte. (Foto: Justin Lubin/NBC)
O céu não pode esperar: em “The Good Place”, Ted Danson explica a Kristen Bell como funciona a vida pós-morte. (Foto: Justin Lubin/NBC)

Quando finalmente conhece sua alma-gêmea, Chidi (William Jackson Harper), um professor de ética nascido na Nigéria, Eleanor confidencia a este sobre o fato de que houve um engano em seu processo de seleção para a entrada no paraíso. Ela realmente se chama Eleanor, mas nunca esteve numa missão da Anistia Internacional na Ucrânia, mas, sim, era uma vendedora de uma companhia farmacêutica que fraudava idosos. Para piorar, ela era egoísta e mesquinha.

Para evitar ser mandada para o inferno, ela decide continuar mentindo sobre sua situação. Chidi, então, decide ensinar Eleanor a ser uma boa pessoa, começando pela leitura de “A Metafísica dos Costumes”, de Immanuel Kant, “um livro sobre como ser do bem”.

Somente Chidi ( ), sabe que sua alma-gêmea Eleanor (Kristen Bell) é uma fraude. (Foto: Justin Lubin/NBC)
Somente Chidi (William Jackson Harper) sabe que sua alma-gêmea Eleanor (Kristen Bell) é uma fraude. (Foto: Justin Lubin/NBC)

Criado por Michael Schur (de “Parks and Recreation” e “Brooklyn Nine-Nine”), “The Good Place” é o primeiro sitcom criado por uma grande emissora americana com chances de emplacar dentro da nova temporada da TV, graças a esquisitice da trama e a boa performance de Kristen (a Anna do desenho da Disney, “Frozen – Uma Aventura Congelante”). Os críticos aprovaram. O jornal Los Angeles Times chamou a série de “encantadora” e o USA Today disse que “temos boas razões de esperar muito desse seriado”.