Críticos dos EUA aprovam filme “porra-louca” de Pedro Morelli

Por Marcelo Bernardes

“Zoom”, filme do paulistano Pedro Morelli, chega hoje (2) ao circuito americano com críticas favoráveis. A coprodução entre Brasil e Canadá, um ensaio metalinguístico que conta três histórias paralelas usando cenas de animação e outras com atores reais, foi descrito pelo crítico do jornal The New York Times como um “quebra-cabeças com fetichismo por seios e pênis, que aposta tudo na astúcia e algumas interessantes interpretações, e funciona”. O crítico diz que Morelli “não teve tempo para dar profundidade aos personagens, mas existe um prazer em descobrir como eles se conectam e refletem os temas modestos do filme”.

Trecho da crítica de hoje (2) do Los Angeles Times. (Foto: Reprodução)
Trecho da crítica de hoje (2) do Los Angeles Times. (Foto: Reprodução)

Já o crítico do Los Angeles Times disse que “Zoom” é um filme de estreia “apreciavelmente porra-louca”, mas também “criativamente travado”. O crítico diz que alguns dos “meta-conceitos” da produção ecoam filmes de Hollywood como “Mais Estranho que a Ficção”, de Marc Foster, e “A Origem (Inception)”, de Christopher Nolan. O segmento de animação com técnica da rotoscópia, na qual filma-se normalmente com os atores e, depois de editado, as cenas são animadas, foi considerado pelo jornal como “espetacular”. Este segmento tem a participação do ator mexicano Gael García Bernal. “A presença dele se mostra competente até mesmo em formato de animação”, diz o LA Times.