Detentas de violenta prisão de NY podem ganhar aulas de samba

Por Marcelo Bernardes

Samba is the New Orange!

O Departamento de Correções de Nova York está criando duas vagas temporárias para instrutores de samba, hip-hop e salsa ensinarem as 650 detentas da famosa e violenta penitenciária da ilha de Rikers, que fica entre os bairros do Queens e Bronx, a dançar para “positivamente aliviar a tensão, o stress e a ansiedade que, do contrário, poderiam resultar em violência”. Segundo reportagem do jornal New York Post desta quinta (18), um anúncio das vagas para professores de dança foi feito na semana passada em um popular website de empregos. O salário não foi informado, mas o anúncio dizia que “dança e música vão permitir as mulheres terem um alívio liberador” e que, “abrindo o coração delas”, ajudaria no “empoderamento” das presidiárias.

Políticos locais não gostaram muito da ideia. “É realmente ridículo. Um grande desperdício do dinheiro dos contribuintes. Temos coisas mais importantes (na Rikers) do que se preocupar com detentas aliviando a tensão”, disse um membro do conselho municipal do bairro nova-iorquino do Queens. Nicole Malliotakis, da Assembléia Legislativa da cidade, também discordou, chamando a decisão do órgão da prefeitura de “mau julgamento”. “Existe uma tênue linha entre fazer algo que realmente reabilite essas mulheres com transformar o que deveria ser uma punição num tipo de ambiente clube de campo”, disse a oficial.

Um funcionário do Departamento de Correções defendeu as lições de samba e hip-hop dizendo que a alternativa pode resultar-se mais produtiva do que “manter essas mulheres sentadas num sala o dia inteiro assistindo TV”. “As detentas entram para o sistema com grandes problemas de drogas e violência. Este e outros programas oferecem a elas um refúgio.”