Polícia de NY comemora baixos números de violência na cidade

Num ano em que várias partes dos Estados Unidos viram um aumento de violência via armas de fogo, a polícia e o prefeito de Nova York anunciaram ontem (11) que a maior cidade do país experimentou, nos primeiros seis meses de 2016, seus números mais baixos em estatísticas criminais. Entre 1o. de janeiro a 30 de junho, foram registrados 435 incidentes que envolveram disparos feitos por armas de fogo. Foram 111 casos a menos se comparado com o mesmo período em 2015, em que o número foi de 546. Segundo Bill Bratton, comissário da polícia de Nova York, esses números são os mais baixos desde 1993.

Entre assassinatos, a polícia registrou 161 casos na primeira metade de 2016, contra 172 em 2015. Em comparação, a cidade de Chicago teve 315 assassinatos no primeiro semestre deste ano e 1.900 casos envolvendo disparos de arma de fogo, uma média alarmante de dez por dia. O ano mais sanguinolento na cidade de Nova York foi 1990, quando 2.245 pessoas foram assassinadas.

Assaltos, furtos e roubos de carros também diminuíram em Nova York. Até 30 de junho, 2.930 carros foram roubados, contra 3.320 no primeiro semestre de 2015, um decréscimo de 12%.

Apesar da maioria dos números favoráveis, a polícia de Nova York fez muito mais apreensões de pessoas com porte ilegal de armas no primeiro semestre de 2016: 1.820 casos, um aumento de 20% no mesmo período no ano passado. Ataques com faca, principalmente no metrô, também aumentaram 9%, com 180 incidentes registrados. Estupros apresentaram uma alta de 7.3%.