Trump e Rio-2016 inspiram nova moda patriótica nos EUA

Por Marcelo Bernardes

O patriotismo está tomando conta das campanhas publicitárias e trazendo as cores vermelho, branco e azul para as peças de roupas nesta temporada de verão nos Estados Unidos. E a principal razão não pode ser apenas creditada à proximidade das Olimpíadas no Rio de Janeiro, em agosto, evento esportivo no qual atletas americanos devem dominar o quadro de medalhas, fazendo a cobertura da mídia, especialmente a televisiva, aderir, sem pudores, ao sentimento patriótico. Donald Trump também vem sendo apontado como o responsável por colocar a bandeira americana estampada na frente de sungas masculinas, embalagens de chocolate e fazer até as gigantes Coca-Cola e Budweiser mudarem seu logotipo. A última companhia chegou a trocar seu famoso nome pela palavra “América” em suas latinhas e garrafas de cerveja. O novo logotipo da Budweiser será usado pela companhia até as eleições em 8 de novembro. “Ele (Trump) certamente trouxe a política de volta para a sala de estar americana”, disse o publicitário Donny Deutsch à rede de TV NBC

Balas Skittles e a nova embalagem com o "mix americano". (Foto: Reprodução)
Balas Skittles e a nova embalagem com o “mix americano”. (Foto: Reprodução)

O moda vermelho, branco e azul se estende às embalagens das populares balas Skittles e dos chocolates M&M’s e Hershey’s, que, pela primeira vez em 100 anos, está pintando seu logotipo cinza com as cores da bandeira americana. A última vez que um evento provocou um “rebranding publicitário” coletivo foi no ano passado, com o lançamento do filme “O Despertar da Força”, quando 19 grandes companhias americanas aderiram, nas embalagens de seus produtos, ao logotipo do longa-metragem ou imagens de cenas do último capítulo da série cinematográfica “Star Wars”. A empresa Disney, produtora do filme, lucrou US$ 63 milhões com essa associação publicitária. Já as empresas anunciantes venderam US$ 243 milhões em produtos, de refrigerantes à caixas de cereais ou macarrão com queijo.

Barra da chocolate Hershey's altera a cor de seu logotipo, com o acréscimo do vermelho e do azul, pela primeira vez em 100 anos. (Foto: Reprodução)
Barra da chocolate Hershey’s altera a cor de seu logotipo, com o acréscimo do vermelho e do azul, pela primeira vez em 100 anos. (Foto: Reprodução)

 

Trump e as proximidades das eleições americanas em novembro estão ajudando o sentimento patriótico a ser capitalizado pelo comércio. Uma publicitária credita a onda do patriotismo ao “clima forte e dividido” que as atuais campanhas políticas instauraram no país. Até Trump, obviamente, opinou sobre o “rebranding publicitário”, especialmente a decisão da Budweiser trocar seu popular nome pela palavra “América”. “Eles (Budweiser) ficaram tão impressionados com o que a América vai ser (comigo) que decidiram mudar o nome”, disse o pré-candidato Republicano em entrevista à rede ABC.

Shorts e sunga patrióticos, os mais vendidos da marca de roupas de praia Chubbie (Foto: Reprodução)
Shorts e sunga patrióticos, os mais vendidos da marca de roupas de praia Chubbie (Foto: Reprodução)

 

No site da loja de shorts de praia e bermudas Chubbies, uma sunga com imagens de um falcão e da bandeira americana estampados na frente é o item “best seller”. Já a loja Shinesty, que comercializa roupas temáticas de caráter duvidoso, teve um aumento de 500% de vendas com as roupas patrióticas. A venda da bandeira americana, fabricada por incontáveis empresas, aumentou em 15% neste início da temporada de verão.

Blazer patriótico é um dos itens mais vendidos do site Shinesty. (Foto: Reprodução)
Blazer patriótico é um dos itens mais vendidos do site Shinesty. (Foto: Reprodução)