Comício de Trump tem ‘saudação’ nazista e bandeira brasileira

Por Marcelo Bernardes

Bandeira americana só uma pequena na lapela do terno de Donald Trump. Mas uma fã passou mais de uma hora durante um comício do pré-candidato republicano à Casa Branca, segunda (7), na cidade de Orlando, estado da Flórida, balançando uma gigante bandeira brasileira em diversos momentos de empolgação do discurso do empresário. A fã, não identificada, ocupava uma posição privilegiada, a poucos metros da bancada de onde o republicano falou, e captada por todas as câmeras de TV.

Fã leva bandeira brasileira no comício de Trump na Flórida. (Foto: Reprodução)
Fã leva bandeira brasileira no comício de Trump na Flórida. (Foto: Reprodução)

O comício na cidade de Orlando foi marcado pela mais nova controvérsia da campanha de Trump. Em determinado momento, para sinalizar o apoio dos simpatizantes do partido republicano à sua candidatura, que votariam nesta terça (8) nas prévias de quatro estados americanos (Havaí, Michigan, Mississippi e Idaho), Trump sugeriu que eles levantassem a mão direita, jurando que iam votar nele. O gesto foi rapidamente interpretado como tendo similaridades com a saudação nazista. Entre os vários críticos estão Abe Foxman, ex-diretor da Liga de Anti-Difamação, que chamou o “juramento” pedido por Trump de “ofensivo, odioso e nojento”.

A saudação polêmica durante o comício de Trump. (Foto: Reprodução)
A saudação polêmica durante o comício de Trump. A fã faz o gesto segurando a bandeira brasileira. (Foto: Reprodução)

Em entrevista ao âncora George Stephanopoulos, do programa “Good Morning America” de terça (8), Trump refutou que a saudação lembrava os comícios de Hitler e Mussolini. “Não ouvi nada sobre a comparação com Hitler. Mas é uma terrível comparação e eu, certamente, não estou satisfeito com ela”.