Uber abaixa preços em NY e gera protestos dos dois lados

Por Marcelo Bernardes

Na manhã de sexta (29), um grupo de taxistas nova-iorquinos tomou a calçada em frente a sede do aplicativo de passageiros Uber, no bairro do Queens, para protestar. Eles carregavam faixas com os dizeres: “não coloque o mundo à mercê do Uber”; “não use a tecnologia como uma ferramenta de exploração”; “não se trata de um aplicativo, e sim do Ubernomics (economia Uber)”, “acabar com trabalho em tempo integral não é inovação”.

De ordem pacífica, como a maioria dos protestos contra os aplicativos Uber e Lyft em Nova York até o momento, essa nova manifestação aconteceu após o anúncio surpresa de que o Uber, a partir de sexta (29), diminuiu o preço-base de suas corridas em 15%. O valor de US$ 3 para cada milha (1.6km) rodada agora foi reduzido para US$ 2.55, e a tarifa mínima do serviço caiu de US$ 8 para US$ 7. Sob os novos preços, a maioria dos itinerários feitos via Uber, incluindo traslados entre Manhattan e os três aeroportos que servem a cidade de Nova York, saem mais baratos do que as corridas de táxi.

O novo anúncio do Uber não provocou somente a indignação dos taxistas. Motoristas que trabalham para o aplicativo também ficaram furiosos, ameaçando abandonar o trabalho, agora que as novas tarifas podem significar uma perda de US$ 500 no salário deles. Alguns motoristas do Uber também citam que um aumento na demanda por carros pode significar perda na qualidade do serviço.

Segundo o Uber, sob os novos preços, corridas entre a região central de Manhattan e o aeroporto LaGuardia caíram de US$ 43.67 para US$ 37.12; do bairro do Chelsea, no lado Oeste de Manhattan, para o East Village, de US$ 13.18 para US$ 11.20; e entre os bairros Williamsburg e Bushwick, no Brooklyn, de US$ 9.90 para US$ 8.40. Segundo apuração do jornal “New York Post”, publicada em sua edição de sábado (30), a nova tarifa praticada pelo Uber faz com que o preço das corridas do aplicativo fique até 25,3% mais baratas que as dos táxis amarelos e verdes. Uma corrida entre o bairro Dumbo, no Brooklyn, e o centro de Manhattan, na manhã de sexta feira, custou US$ 24.08 pelo Uber e US$ 32.25 via táxi.

Apesar da boa notícia para os passageiros, o corte nos preços do Uber não significa economia certa para todas as corridas do serviço. Com o aumento da demanda dos carros Uber, a imprevisível tarifa “preço dinâmico” usada pelo serviço pode ser aplicada em mais situações durante o horário de pico e feriados. O “preço dinâmico” é um algoritmo que calcula automaticamente a oferta e a demanda por carros para determinar o valor mais adequado da corrida.

Com os novos preços do Uber já em ação, a empresa Taxi and Limousine Commission (a TLC), que controla a frota de táxi de Nova York, estaria, segundo o jornal “Post”, considerando um desconto na tarifa-base dos táxis também. O democrata Ydanis Rodriguez, diretor do Comitê de Transporte da cidade de Nova York, condenou a ação do Uber. “Precisamos analisar as repercussões”, disse o oficial, citando que os descontos “podem causar um enfraquecimento nos benefícios dos motoristas”.