Público de cinema da Argentina é mais sofisticado que o brasileiro

Por Marcelo Bernardes

Os argentinos também batem os brasileiros quando o assunto é sofisticação no cinema. Em entrevista a revista “Hollywood Reporter”, o distribuidor mexicano Pedro Rodriguez, responsável pela distribuição e marketing de filmes americanos na América Latina, explicou as diferenças entre o público do continente. “Brasileiros e mexicanos têm um maior apetite por filmes comerciais convencionais, enquanto Chile e Argentina tendem a ser mais sofisticados em seus gostos por filmes.”

Rodriguez é presidente e CEO da empresa IDC, baseada em Los Angeles e que cuida dos direitos, para 23 países da América Latina, dos filmes das distribuidoras americana Summit e Lionsgate e de pequenas produtoras independentes. Ele foi o responsável por negociar os filmes da série “Crepúsculo” e “Divergente”. Na semana que vem, recebe na Flórida o prêmio de Distribuidor do Ano dado pela ShowEast, organização formada pelos donos de cinema dos Estados Unidos.

Analisando os gostos do público latino, Rodriguez disse que os filmes de terror geralmente não fazem o mesmo sucesso no circuito brasileiro como no mexicano. “Mas filmes que têm um lado espiritual e referências a vida após morte tendem a funcionar melhor no Brasil do que no México”.

O distribuidor também explica que os espectadores brasileiros e mexicanos privilegiam filmes “YA”, termo usado para as produções de temática jovem-adulta como “Jogos Vorazes”, “Crepúsculo” e “Maze Runner”. “A América Latina tem uma população muito jovem, mais que os Estados Unidos e Europa. Filmes-família também dão muito certo, pois existem mais crianças por lá e famílias gostam de ir ao cinema juntas,” diz Rodriguez.