Miley Cyrus apresenta a volta do ‘Saturday Night Live’

Por Marcelo Bernardes

O programa de estreia da 41a. temporada do humorístico “Saturday Night Live”, exibido pela rede NBC, começou com o óbvio: um bom esquete sobre Donald Trump, o pré-candidato do Partido Republicano a presidência dos Estados Unidos. Trump (interpretado pelo comediante Taran Killam) apresenta ao público sua esposa, a ex-modelo eslovena Melania Trump (Cecily Strong). “Você provavelmente deve estar olhando para essa adorável mulher aqui e perguntando: ‘uau, quem é essa? Outra filha ‘comível?’”, diz Trump.

Esquete de abertura do "SNL": Donald Trump e a mulher Melania. (Foto: Reprodução)
Esquete de abertura do “SNL”: Donald Trump e a mulher Melania. (Foto: Reprodução)

A cantora Miley Cyrus cumpriu a dupla função de ser apresentadora especial do programa e convidada musical. Seu monólogo de abertura brincava com o fato de ela ser uma “party girl” (baladeira) e gostar de “fumar muito”. “O bom de fazer um programa ao vivo é que meus pais vão saber onde estou durante os próximos 90 minutos,” disse Miley.

Miley Cyrus em seu monólogo de abertura. (Foto: Reprodução)
Miley Cyrus em seu monólogo de abertura. (Foto: Reprodução)

Ela então canta uma versão da música “My Way”, sucesso do repertório de Frank Sinatra, para saudar o finado verão americano de 2015 e todas “as pessoas ruins que aconteceram nele”. Enquanto canta, a tela da TV é dividida em duas e os comediantes fazem suas imitações de Walter Palmer, o dentista que matou o leão Cecil no Zimbábue; Kim Davis, a tabeliã do Kentucky que se negava a emitir certidões de casamentos para casais gays; Jared Fogle, o porta-voz da rede de sanduíches Subway detido por suspeita de pedofilia; o elenco do filme “Entourage”; e o “pacote” do roqueiro Lenny Kravitz.

Hillary Clinton fez uma participação especial como uma bartender de nome Val que serve vodka para uma Hillary Clinton injuriada, ali para “celebrar”. “Tem sido duro esses últimos 22 anos”, reclama a Hillary interpretada pela comediante Kate McKinnon. Kate é a titular em parodiar a pré-candidata do Partido Democrata no “SNL”.

As duas Hillary Clinton do "SNL". (Foto: Reprodução)
As duas Hillary Clinton do “SNL”. (Foto: Reprodução)

Apesar de evidente que está olhando para o teleprompter em determinados momentos, a verdadeira Hillary cumpre bem seu papel de atriz no esquete e aproveita para jogar nele temas de sua campanha, como apoio ao casamento gay e sua oposição ao projeto de construção do oleoduto de Keystone, entre os Estados Unidos e Canadá, por causa dos danos ambientais que o projeto pode causar.

Momentos depois, já com outra troca de roupa – um terninho preto -, Hillary introduziu o primeiro número musical (de um total de dois) de Miley Cyrus. A popstar, junto com a banda The Flaming Lips, canta “Karen Don’t Be Sad”, faixa do recém-lançado álbum dela, “Miley Cyrus & Her Dead Petz”. A música termina com Miley repetindo a frase “don’t let them win” (não os deixe vencer). Mais pró-Hilary que isso…

E por falar em “Saturday Night Live”, confira abaixo o trailer da comédia “Sisters”, estrelado por três ex-atrizes do programa: Tina Fey, Amy Poehler e Maya Rudolph. O filme estreia nos EUA em 18 de dezembro.