Sobrinhos de Michael Jackson ganham série de TV

Por Marcelo Bernardes

Por onde andam os filhos de Michael Jackson: Prince, 18, Paris, 17 e Blanket, 13? A série de TV “The Jacksons: Next Generation”, que estreia amanhã nos Estados Unidos, vai oferecer aos fãs do popstar, uma rara espiadela no cotidiano do trio que agora vive, oficialmente, sob a guarda do primo TJ e da avó Katherine Jackson.

TJ, 37, é co-protagonista do programa da emissora Lifetime junto com os irmãos Taj, 42, e Taryll, 40. Eles são filhos de Tito Jackson, irmão de Michael, e integrantes da banda 3T que, em sua estreia em 1995, vendeu cerca de 3 milhões de CDs e agora se apresenta esporadicamente.

Os irmãos Taryll, TJ e Taj Jackson, protagonistas da série "The Next Generation", tentam mostrar um lado mais normal da vida do controverso clã musical. (Foto: Joseph Viles)
Os irmãos Taryll, TJ e Taj Jackson, protagonistas da série “The Next Generation”, tentam mostrar um lado mais normal da vida do controverso clã musical. (Foto: Joseph Viles /Lifetime)

Considerados como normais dentro de uma dinastia artística rodeada por controvérsias e escândalos, os três T são mostrados como “gente de pé no chão” no programa de seis episódios. A série acompanha TJ as voltas com a criação dos filhos (um deles aparece tendo aulas numa auto-escola); os problemas de Taryll com a obesidade, e uma disputa judicial que eles mantêm contra uma mulher que alega ser irmã deles. Os três filhos de Michael Jackson são mostrados rapidamente em um dos episódios, interagindo com o primo TJ.

Tito Jackson (de blaser azul), irmão de Michael Jackson, ao lado dos filhos (da esquerda para a direita): TJ, Taryll e Taj. (Foto: Richard Knapp / Lifetime)
Tito Jackson (de blaser azul), irmão de Michael Jackson, ao lado dos filhos (da esquerda para a direita): TJ, Taryll e Taj. (Foto: Richard Knapp / Lifetime)

TJ, Taryll e Taj também tentam aplacar alguns dos rumores que acompanham a história da família, principalmente os que dizem respeito a vida do famoso tio, morto em 2009. Taj, em entrevista ao jornal “New York Post”, disse que, apesar de Michael ter sido inocentado das alegações de abuso sexual feitas contra ele, o veredito favorável que o popstar recebeu em 2005 foi sempre tratado com desconfiança e cinismo por parte da mídia e da opinião pública, e que a recuperação do legado da família “nunca será completamente alcançada”. “Nossa família e nossos tios impactaram muita gente – e isso é uma coisa que queremos fazer,” disse Taryll a revista “People” desta semana.