Como a cidade de Nova York exclui quem ganha salário mínimo

Por baixomanhattan

Um trabalhador de Nova York que ganhe salário mínimo não pode morar em nenhum bairro da cidade. Segundo o “Daily News”, que fez matéria com base em um estudo recente, é preciso ter um salário de U$39 por hora, ou R$150 por hora, para ter condições de pagar um aluguel em Nova York, onde gasta-se em média U$2.700 por mês (ou quase R$10 mil por mês) em moradia.

Como o salário mínimo no Estado é de U$8,75 por hora (ou R$30 por hora) alguém que trabalhe na cidade e receba o mínimo — e são 270 mil pessoas recebendo o mínimo e trabalhando em Nova York — não pode morar relativamente perto do trabalho, o que o obriga a passar muitas horas do dia em transporte público.

O texto é recheado de depoimentos de gente que, trabalhando em Nova York e morando muito longe, não consegue fazer nada além ir e voltar do trabalho todos os dias, e ainda assim para pagar o aluguel e colocar comida na mesa, e nada a mais do que isso.

A mesma matéria calculou que para ser capaz de morar na cidade de Nova York um trabalhador precisaria ganhar U$40 por hora, ou R$150 por hora, quase cinco vezes mais do que o mínimo.

A batalha pelo mínimo de U$15 por hora (ou R$50 por hora) em todo o país não permitiria, portanto, que aqueles que trabalham em Nova York pudessem morar onde trabalham e ter, assim, uma vida menos dura ou minimamente mais decente e livre.