Hillary: bancada pelo mercado financeiro e pela mídia

Por Milly Lacombe

Na sexta-feira, 31 de julho, ficamos sabendo oficialmente da lista de doadores para a campanha de Hillary Clinton à presidência americana: um terço dos doadores estão ligados ao mercado financeiro. São pessoas como George Soros e outros tantos empregados pela indústria que provocou a crise mundial iniciada em 2008.

Deles vieram quase U$5 milhões (cerca de R$ 17 milhões) dos U$15,6 milhões (R$50 milhões) recebidos pela campanha de Clinton no primeiro semestre desse ano.

Na lista de doadores aparece em segundo lugar a indústria da mídia, que inclui estrelas hollywoodianas como Steven Spielberg.

É de se esperar, portanto, que se Hillary Clinton vencer as primárias democratas e depois a eleição presidencial nada mude no cenário atual americano, que continuará a ser regido pelo mercado financeiro e pelas grandes corporações e, assim, seguirá socialmente instável e desigual; atualmente 400 americanos tem a mesma riqueza que metade da população do país, ou que 160 milhões de pessoas.