O melhor livro de gastronomia já escrito

Por baixomanhattan

Os irmãos Alfredo e Antonio Mizretti são os autores da façanha de dar vida ao melhor e ao mesmo tempo mais inútil e dispensável livro de gastronomia do mundo. E ainda que os irmãos Mizretti sejam pseudônimos, os criadores deram um jeito de convencer o renomado restaurater Mario Batali a fazer o prefácio da obra que se chama Fuds, uma completa enciclopédia que ensina desde como descascar camarões até dicas para que você evite morrer dentro de um restaurante.

Os verdadeiros autores são Kelly Hudson, Dan Klein e Arthur Meyer, três comediantes americanos do Brooklyn, em Nova York, que colocaram em elegantes 150 páginas de papel couché de gramatura pesadinha algumas das melhores e mais engraçadas coisas já ditas a respeito de comida.

Capa do livro Fuds (Crédito: Divulgação)
Capa do livro Fuds (Crédito: Divulgação)

Como aperitivo, alguns trechos do texto de Batali que abre Fuds:

“ Olha, vou ser honesto, não sei por que estou escrevendo esse prefácio. Quando os irmãos Mizretti me pediram para escrever isso eu pensei: “Quem são esses caras e por que estão falando comigo?

Conversamos um pouco, eu os conheci e percebi que não gostei deles. Eles falavam alto demais e tinham hálito de café velho. Portanto, não estou escrevendo esse prefácio porque gostei desses caras , ou porque somos amigos ou porque eu aprecie o tipo de higiene deles. E certamente não estou escrevendo esse prefácio porque gostei do livro. Eu li o livro. Não é bom. Não é um bom livro. Você acaba de comprar um livro ruim. Você viu alguns dos pratos? São nojentos. (…)

Também não estou escrevendo esse prefácio para me promover. Eu sou Mario Fucking Batali. Vocês sabem quem eu sou. Não preciso desse horroroso livrinho.

Estou fazendo isso porque gosto de livros de receita? Não. Eu detesto livros de receita. Publiquei uma dúzia deles eu mesmo então sei da verdade: livros de gastronomia estão matando a gastronomia. Eu faço tudo de cabeça, do zero. Como homem! Quem usa livro de receita é covardão. Se vocês gostam tanto assim de ser instruídos vão montar uma mesa da IKEA, seus covardes.”

E o livro segue nesse tom, com algumas preciosas dicas dos Mizretti sobre como preparar pratos, e se comportar dentro de uma cozinha.

“Se alguém dentro da cozinha estiver segurando uma faca, arranque-a das mãos dele ou dela e esfaqueie ele ou ela primeiro. Lembre-se: na cozinha é você contra todo mundo”

“Se for espirrar ou tossir faça-o sobre a comida, assim você mantém suas mãos livres de germes”

“Cozinhe tão rapidamente quanto puder, assim você terá menos tempo para errar”

As receitas seguem o ritmo, como a do Peixe com queijo:

“Peixe com queijo. Ingredientes: muito peixe e muito queijo

Como fazer:

Coloque muito peixe no prato e depois muito queijo sobre ele”

Há também uma seção de perguntas e respostas:

“Comida é arte?

“Depende. Se você vir um prato de batatas fritas numa mesa em uma pista de boliche, não. Mas se você vir esse mesmo prato dentro de um vidro exposto em um museu fazendo parte da exibição, sim.”

“Tudo bem se a gente se empanturrar de pão antes de comer?

“Tudo ótimo. A gente encoraja esse tipo de atitude. A coisa mais engraçada seria você ir a um restaurante, se empanturrar de pão e quando a comida chegar dizer ao garçom: ‘desculpe, me empanturrei de pão, não estou mais com fome’, levantar e sair.”

“Por que algumas comidas são molhadas e outras secas?”

“Vocês estão fazendo muitas perguntas. Vamos em frente”

Para melhorar, o livro não tem uma foto sequer, apenas ilustrações.

Na contra capa a ironia continua, como a indicação de Robert Smiger, do TV Funhouse.

“Eu recomendo muito esse livro a todos aqueles que ainda não o leram, como eu”

Kelly Hudson, Dan Klein e Arthur Meyer, três jovens na casa dos 30, provam que é possível fazer humor, ser original e não ofender ninguém. Fuds custa aproximadamente R$45 (U$15) e pode ser comprado via livrarias eletrônicas, mas ainda só em inglês.

 

(Por Milly Lacombe)

Siga o Baixo Manhattan também via Instagram: @blogbaixomanhattan